4 dicas de português para escritores iniciantes

Você escreve nas horas vagas e sonha em se tornar um escritor conhecido e viver da literatura, mas não sabe por onde começar? Fique tranquilo, pois este texto lhe ajudará a dar bons passos rumo à sua primeira noite de autógrafos.

Escrever bem vai muito além de ter boa imaginação e facilidade em criar histórias e personagens. Uma concordância errada, uma crase esquecida ou uma vírgula mal colocada podem comprometer o texto e a credibilidade do escritor.

Por isso, todos os escritores iniciantes precisam ficar muito atentos às regras da língua portuguesa para chegarem à categoria de escritor profissional. Sendo assim, veja o que preparamos neste artigo com 4 dicas de português para escritores em início de carreira.

1. Deve-se ficar atento à crase

Vamos começar por esse recurso de nossa língua que tanto confunde os escritores. Primeiramente, saiba que só ocorre crase antes de palavras femininas, exceto quando a palavra “moda” estiver subentendida (ex.: sapatos à [moda de] Luís XV).

Deve existir crase também quando houver informação de hora: “o lançamento do livro mais esperado do ano começa às 10h”. Mas se o horário informado for antecedido das preposições “desde”, “para” e “até”, há uma exceção: saberemos que “o horário do lançamento do livro foi alterado para as 10h30”.

Lembre-se além disso de que ocorre crase antes de locuções adverbiais que expressam tempo, lugar e modo (ex.: “à tarde, vou à praia às pressas”).

E de vez em quando, faça um teste: troque o “à” por “ao” e o substantivo feminino por um masculino. Se a nova frase estiver adequada, a original contém crase (ex.: Entreguei a carta à professora/ao professor).

2. É de boa-fé usar hífen no lugar certo 

Um elemento que também costuma dar dor de cabeça é o hífen. Então atenção!

Na junção de palavras, todos os super-heróis sabem que se a segunda começa com “h”, antes dela vem o hífen. Assim, eles sempre evitam um contra-ataque, pois sabem que também existe hífen antes da segunda palavra, se ela começar com a mesma vogal que encerra a primeira. E esse poder é super-requintado, porque ocorre igualmente no caso de mesmas consoantes.

Heroísmos à parte, lembre também que o hífen deve aparecer:

  • nas palavras antecedidas pelos prefixos “ex”, “sem”, “além”, “recém”, “aquém”, “pré”, “pós”;
  • nas palavras com sufixos de origem tupi-guarani: “açu”, “mirim”, “guaçu”;
  • nas palavras que formam encadeamentos vocabulares: “eixo Rio-São Paulo”.    

3. As aspas dizem o “não-dito”

Já leu “textos” de “escritores” que colocam “um monte” de expressões “entre aspas”? Isso pode deixar qualquer um com “dúvidas”, pois não sabemos se o autor quis mesmo “dizer aquilo” ou “outra coisa”. 

Portanto, ao escrever, não se esqueça de que as aspas devem ser usadas quando você:

  1. abrir e fechar citações (“Minha pátria é a Língua Portuguesa”, já dizia Fernando Pessoa);
  2. destacar palavras usadas fora do contexto habitual (Paulo Coelho escreve “super” bem);
  3. delimitar títulos de obras, como por exemplo, músicas e livros (A canção “Construção”, de Chico Buarque, brinca com proparoxítonas);
  4. usar estrangeirismos, gírias, expressões populares, neologismos (Antes de “deletar” as fotos, vou fazer um “backup” delas).

4. Vírgula, a rainha da separação

Uns usam demais, outros usam de menos. A vírgula costuma dar mesmo um nó na cabeça dos escritores! Mas nem por isso você vai sofrer. Use esse sinal de pontuação para:

Separar explicações dentro de uma frase

  • A vírgula, que é um elemento da língua portuguesa, tem suas próprias regras.

Separar tempo, lugar e modo em começo de frase

  • No ano passado, li vários livros de literatura

Elencar diversos itens

  • Comprei cebola, tomate, alface, palmito e azeitona.

Porém, nunca separe o sujeito e o verbo com vírgula (ERRADO: Fulano, joga bola à tarde), a não ser, é claro, no caso de vocativo (chamamento): Fulano, venha jogar bola à tarde.

Viu só como escrever não é apenas deixar o pensamento rolar solto? Para fazer com que a sua obra seja bem entendida e interpretada pelos leitores, é fundamental conhecer a nossa língua. Por isso, aproveite essas regras básicas que apresentamos e nunca se esqueça de sempre contar também com a ajuda de uma boa gramática e de um bom dicionário.

Se você quer ver mais dicas como essas, siga-nos nas redes sociais e prepare-se para o sucesso!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Postagens relacionadas
11 formas de despertar ideias para escrever um livro
5 elementos fundamentais para escrever um livro de suspense
Livros de terror: 5 dicas que não podem faltar na hora de escrever
Livro digital ou livro físico: qual escolher para começar?
Você já ouviu falar na jornada do herói?