Cineasta lança história leve e despretensiosa sobre a solidão

Guilherme Cardoso, formado em cinema e audiovisual, lança a obra “Eu não sei de onde eu vim”, um romance de escrita simples, mas envolvente, que gira em torno da protagonista Aline. O livro traz sua juventude, difícil e conturbada, e o que vem depois: com a perda da mãe, Aline tem uma complicada relação com seu pai, um emprego do qual não gosta e mantém contato apenas com uma amiga. De repente, ela precisa tomar uma decisão muito drástica, que irá mudar sua vida para sempre – como uma viagem sem volta.

Em entrevista ao Blog Autografia, Guilherme fala um pouco mais sobre a obra: “acho que é um livro com uma escrita leve e que não se leva muito a sério, o qual eu uso para abordar temas como a solidão, a liberdade, o amadurecimento e até mesmo questão psicológicas e de cunho social. O pano de fundo é a existência de coisas sobrenaturais”.

“Eu não sei de onde eu vim” é uma extensão de um curta-metragem produzido por Guilherme durante a faculdade, que possuía potencial para muito mais: “a ideia, o roteiro, a história… Isso permaneceu comigo, pois eu sabia que poderia fazer algo melhor. E foi o que eu resolvi fazer, transformando em livro tudo o que aquela história tinha pra contar. Como surgiu o roteiro do curta? Eu simplesmente imaginei uma menina observando a lua, sentada em um píer, a noite, sozinha”, compartilha o autor.

As inspirações de Guilherme foram, principalmente, alguns filmes, animes e escritores, como “O Fabuloso Destino de Amelie Poulain”, “A Melancolia de Haruhi Suzumiya”, Douglas Adams e Ernest Hemingway. O autor conta, ainda, sobre o processos de produção da obra: “por parte da editora, foi bem eficiente. Estive o tempo inteiro praticamente em contato com a produtora e nenhuma dúvida minha foi deixada de lado”.

Guilherme compartilha também como é publicar um livro: “é uma sensação muito boa, pois é uma das poucas vezes que eu senti muito orgulho de algo que eu fiz, pois eu sou extremamente autocrítico com tudo que eu faço, então não é fácil eu me orgulhar de nada. Inclusive, gostaria de aproveitar pra parabenizar a ilustradora que fez a capa, ficou maravilhosa!”, finaliza.

Para saber mais sobre o livro, confira a fanpage da obra, clicando aqui. Adquira seu exemplar da obra em nossa loja online, clicando aqui.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Postagens relacionadas
Jovem publica diário que relata sua experiência no ‘segundo armário’ ao descobrir ser soropositivo
Autografia na FLIP – Festa Literária Internacional de Paraty
Carlinhos Sete lança livro com crônicas de um sedutor nato
Lançamentos da Semana
Conheça o livro “Vertigens de Junho”, de Alexandre Mendes