Como escolher um bom título para o seu livro

Escolher um bom título para um livro não é uma tarefa a ser menosprezada. Além de resumir a ideia principal, um bom título precisa atrair leitores, cativá-los, impressioná-los, ajudar nas vendas e até mesmo facilitar a memorização do nome da obra.

Não estamos tratando de uma simples redação, mas de um livro, que precisa circular nas mãos dos leitores. Trazemos, a seguir, algumas dicas que podem auxiliá-lo nessa tarefa delicada e definidora: escolher um título para livro. Confira!

Releia e observe se o título já está lá

É bastante comum que os escritores encontrem seus títulos depois de escrever o livro. Depois de relê-lo, e vasculhar aqui e ali com olhar aguçado em busca de boas palavras e expressões, é bastante provável encontrar o título em meio ao próprio texto.

Muitos casos são assim e rendem boas histórias. A ideia é terminar o texto, relê-lo com atenção e procurar elementos que possam ser levados diretamente para a capa.

Pense no efeito que deseja obter

O que você quer com o título? Resumir a ideia principal pode ser uma boa ideia, porque é linear. Dependendo do gênero da obra, pode ser mais interessante que se diga logo a que veio, ou seja, que tema aborda, sob quais ângulos e assim por diante.

Não hesite então em contar para o leitor, logo no título, do que se trata o livro. É uma estratégia bem comum, por exemplo, em livros técnicos ou de autoajuda, que procuram entregar ao leitor a ideia principal já na capa: como “X dicas para enriquecer” ou “Mapeamento da literatura brasileira”.

Porém, se a ideia é não revelar muito, tudo muda. Em alguns casos, o suspense funciona melhor e atrai mais do que o resumo da história. Daí parte-se para o nome de um personagem (que tal “Dom Casmurro” ou “Madame Bovary”?) ou para uma insinuação que deixe o leitor curioso (“A trégua” ou “Cem anos de solidão”, por exemplo). O importante é evitar estragar o mistério da obra logo na capa.

Consulte outros leitores

Pode ser interessante pedir que algumas pessoas de confiança leiam o livro para ajudar a batizá-lo. Se houver interessados e conhecedores do tema, melhor ainda.

Pode ser que alguém consiga perceber algo ou ter insights que o próprio autor não tem. Essa colaboração é preciosa: muitos livros tiveram seus nomes originais alterados por pessoas que tinham um pouco mais de senso de marketing. E funcionou!

Uma boa ideia é compilar as sugestões recebidas e registrá-las no papel ou no computador. Não se preocupe se algumas delas parecerem estranhas no começo, pois pode-se fazer um brainstorm para aprimorá-las depois ou usar as opções obtidas como base para a criação de um novo título.

Pense no impacto causado pelo título

É difícil medir o impacto que o título terá, mas algumas coisas são previsíveis. Evite, por exemplo, nomes muito compridos. Eles são difíceis de memorizar e até de compreender. Escapam do esquecimento alguns títulos que se transformam em apelidos, mas nomes longos costumam desanimar.

Se a obra for acadêmica, isso pode até ser cogitado, mas na literatura e em outros campos é melhor escolher um título mais direto e conciso. É claro que há muitos exemplos e contraexemplos quando se fala em título para livro.

Há uma obra do premiado Gabriel García Márquez que faz repensar a necessidade de concisão: “A incrível e triste história da Cândida Erêndira e sua avó desalmada”. No entanto, pode perguntar por aí: o livro se transformou no simples “Cândida Erêndira” — o restante fica apenas para os leitores mais dispostos.

Enquanto não se é um Nobel de Literatura, entretanto, é bom pensar em títulos fáceis, memorizáveis e que cumprem o que prometem.

Escolha uma palavra-chave original

Para criar um título para livro que ainda não exista e se destacar da multidão, é preciso pensar nas particularidades da obra. Quais aspectos são significantes para a história? Existe alguma frase memorável? Um acontecimento decisivo que mudou o rumo da narrativa?

Pense no que difere o livro de todos os outros. Com base nas ideias que aparecerem, esforce-se para evitar títulos mais populares e escolher uma palavra-chave pessoal e exclusiva. A partir dela, é possível trabalhar a essência do título e acrescentar outras palavras que a contextualizem.

Use a poesia a seu favor

Considere usar uma frase poética para o título do livro, mas lembre-se de que não precisa ser nada florido, romântico e, definitivamente, não precisa rimar. Uma dica é pensar no título como um haikai (um poema muito curto). Como transmitir o sentimento da história em apenas algumas sílabas?

Caso a inspiração esteja em falta, vale a pena fazer referências a ditados, canções, frases já conhecidas de autores famosos e até mesmo citações religiosas, como “A mulher do próximo” ou “Honra teu pai”, ambos de Gay Talese. Quem diria que frases já existentes e populares poderiam trazer tanta originalidade para um título de livro?

Nesses casos, apenas tome cuidado com citações muito literais: afinal, é importante não violar os direitos autorais da obra que lhe serviu de inspiração.

Analise outros títulos do mesmo gênero

Nunca canse de procurar referências. Vasculhar títulos de outros livros, principalmente do mesmo gênero literário, pode ser uma ideia interessante para ajudar a descobrir o que chama a atenção neles.

Essa análise é importante porque, se o título criado não for condizente com a história e o estilo de escrita, o leitor provavelmente não vai saber o que esperar. Nesse contexto, há chances de que prefira optar por um livro mais objetivo e claro, que já sabe do que se trata.

Carregue as palavras com um gatilho emocional

Pense em uma pessoa que se dirige a você para dizer “você está muito elegante hoje!’ e em outra que diz “a cada dia, você se torna mais bem-vestido(a), mas hoje parece amanhã”. As duas afirmações têm a mesma mensagem, mas será que ambas exercem o mesmo apelo e impacto emocional?

Confira outros exemplos a seguir:

  • “enorme” em comparação com “estrondoso”, “monumental” ou “gigantesco”;
  • “marcante” em comparação com “épico”, “notável” ou “inesquecível”;
  • “derrotado” em comparação com “destruído”, “destroçado” ou “arruinado”.

Consegue notar a diferença? Algumas mudanças simples na escolha de palavras são suficientes para evocar emoções específicas no leitor e causar sentimentos de urgência, misticismo, intriga e outros. Isso produz um engajamento instantâneo com a obra. Afinal, quem não gostaria de ler algo que é capaz de impressionar já pelo título?

Escolher um título para livro é um processo essencialmente criativo e, por isso, pode ser bastante desafiador para muitos escritores (principalmente os iniciantes). No entanto, a partir destas e outras dicas, fica mais fácil formular ideias únicas e extraordinárias.

Gostou deste post? Aproveite para assinar a nossa newsletter e continuar por dentro de todas as novidades do blog!

2
Mockup-Horizontal (42)
Mockup Horizontal (51)
Postagens relacionadas
What exactly are Values of the Two-Year College.
4-razoes-para-voce-evitar-a-autopublicacao-de-livros.jpeg
4 razões para você evitar a autopublicação de livros
estender-500-como-escolher-um-bom-titulo-para-o-seu-livro.jpeg
Como escolher um bom título para o seu livro
5-segredos-do-design-de-capas-de-livros.jpeg
5 segredos do design de capas de livros
entenda-a-importancia-do-dia-do-escritor.jpeg
Entenda a importância do dia do escritor