Giovana Zimermann lança livro que estuda a juventude nas periferias francesa e brasileira

Em um paralelo das realidades vividas por jovens no Rio de Janeiro e em Paris, embasado no mundo cinematográfico, Giovana Zimermann, artista visual e cineasta, lança Rio de Janeiro e Paris: a juventude apache do cinema na periferia. Giovana dedica-se a pesquisas e produção de arte urbana desde 2000, possuindo obras em acervos nacionais e internacionais.

O novo livro é um estudo crítico sobre as mudanças nas cidades e o que elas têm em comum, através de uma filmografia que inclui La Haine (O Ódio), 1995, de Mathieu Kassovitz, e Cidade de Deus, 2002, de Fernando Meirelles e Kátia Lund. Pela perspectiva de Walter Benjamin, Giovana investiga a expressão da periferia na cinematografia brasileira e na francesa.

A autora, pós-doutoranda na Universidade Federal do Rio de Janeiro, utiliza o cinema como dispositivo do discurso sobre os conflitos urbanos.  Na obra, ela propõe a realização de uma discussão sobre os dois países a partir de suas características semelhantes – mesmo que possuam diferenças entre si –, como o comportamento dos jovens em uma sociedade do espetáculo e do consumo.

Luiz Eduardo Soares, antropólogo, cientista político e escritor, conta porque a obra de Giovana é vital: “(…) ela ensina, instrui, sistematiza, analisa processos sociais complexos, comparando-os no tempo e no espaço, entre Brasil e França. E recorre à análise de filmes para fazê-lo, com o auxílio de poetas, filósofos e cientistas sociais”. Para Luiz, a obra fascina o leitor.

Usando uma vasta gama de informações, teorias e a filmografia, Rio de Janeiro e Paris: a juventude apache do cinema na periferia possui uma linguagem acadêmica que elucida diversas questões acerca da urbe no mundo contemporâneo. Trata das dificuldades de equacioná-la diante das crescentes diferenças econômicas, sociais e culturais dentro dela mesma com o avançar do tempo.

O lançamento do livro será hoje (27), às 18h, na Livraria Autografia. Além disso, a autora também lançará, dia 08/06, às 20h, no Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC), CIC, em Florianópolis, seu filme “branCURA”, que trata sobre a violência de gênero. Com roteiro escrito por Giovana, o curta foi vencedor do Prêmio Catarinense de Cinema na edição 2012/2013.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Postagens relacionadas
Lançamentos da Semana
Paulo Henrique Brazão lança contos sobre sexo em “Perversão” e sobre outros temas em “Desilusões, Devaneios e Outras Sentimentalidades”
Marcio Farias lança obra sobre a importância de protagonizar a própria história
Autografia na FLIP – Festa Literária Internacional de Paraty
Lançamentos da Semana