Renato Moreira lança romance histórico da época da escravidão

O escritor e químico Renato Moreira lança “João Caetano, memórias de um abolicionista”, romance histórico sobre uma família camponesa da época da escravidão, oriunda do casamento entre uma escrava negra angolana e um português. As anotações do filho abolicionista do casal, João Caetano, morto em um assassinato em Paris a mando de senhores de escravos, foram encontradas por seu filho, João Cardoso, que conta a saga da família a partir dos escritos do seu pai.

Em entrevista ao Blog Autografia, Renato, nascido em Recife e morador de Fortaleza, conta mais sobre sua trajetória: “Eu sempre trabalhei na área de Ciências (Bioquímica, Imunologia e Biotecnologia), mas tinha uma atração especial pela História. Sou professor universitário desde 1966, químico, Doutor em Bioquímica e Pós-Doutor em Bioquímica e Imunologia. Com a chegada da aposentadoria, depois de uma vida dedicada à atividade de ensino e pesquisa, resolvi que não podia deixar meu cérebro parado e me arrisquei a entrar na área da literatura”.

A obra traz para o leitor dados da História Clássica, principalmente de Portugal e do Brasil, e os aspectos da trajetória de uma família representante da mistura de raças: “É também um libelo em defesa dos africanos escravizados aqui no Brasil. Podemos dividir o livro em três partes: primeiramente, as trajetórias de dois jovens, o português e a angolana, com alguns detalhes típicos das suas respectivas etnias; em segundo lugar, a formação de uma família brasileira resultante da mistura das duas principais raças que construíram a nossa nacionalidade; e, em terceiro lugar, o grito contra a extrema crueldade que foi a captura de seres humanos”, relata ele.

Renato conta ainda sobre suas inspirações para produzir “João Caetano, memórias de um abolicionista” e como foi a produção do livro: “A ideia de publicar veio do gosto pela História e de uma necessidade de expor a contribuição dos africanos escravizados e trazidos à ferro ao Brasil, que hoje constituem mais de 50% da população brasileira, e até certo ponto são invisíveis da nossa sociedade. O meu processo de escrita foi um desafio enorme para alguém que nunca havia se aventurado na área da literatura, às custas de muita pesquisa, muita leitura e muita vontade de entrar numa área totalmente nova. Poderia dizer que fiz tudo sozinho, tendo como companhia apenas os livros (e foram muitos)”.

Para o autor, publicar é uma vitória sobre si mesmo e sua maior expectativa está se concretizando: “O sonho era uma editora se interessar em publicar e acreditar em mim. O que vai acontecer, daqui pra frente, é fortalecer o meu ânimo nesta trajetória. Embora não pretenda me tornar um ‘autor de sucesso’, sei que daqui pra frente outros livros e contos virão. Aos leitores, acreditem que são capazes de realizar seus sonhos, mesmo que pareçam impossíveis. Mas, principalmente, respeitem e valorizem os fazedores de nossa nacionalidade multirracial, tão bela e forte”, finaliza. A obra “João Caetano, memórias de um abolicionista” está à venda em nossa loja online, adquira o seu exemplar clicando aqui.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert
Postagens relacionadas
Lançamentos da Semana
Conto romântico aborda os desencontros e dissabores do amor
Trajetória de casal separado na pré-adolescência é tema de livro
Confira o novo programa da Rádio Autografia, com Jhuan Pablo e o “Um jovem diferenciado”
Lançamentos da Semana