Giovana Zimermann lança livro que estuda a juventude nas periferias francesa e brasileira

Em um paralelo das realidades vividas por jovens no Rio de Janeiro e em Paris, embasado no mundo cinematográfico, Giovana Zimermann, artista visual e cineasta, lança Rio de Janeiro e Paris: a juventude apache do cinema na periferia. Giovana dedica-se a pesquisas e produção de arte urbana desde 2000, possuindo obras em acervos nacionais e internacionais.

O novo livro é um estudo crítico sobre as mudanças nas cidades e o que elas têm em comum, através de uma filmografia que inclui La Haine (O Ódio), 1995, de Mathieu Kassovitz, e Cidade de Deus, 2002, de Fernando Meirelles e Kátia Lund. Pela perspectiva de Walter Benjamin, Giovana investiga a expressão da periferia na cinematografia brasileira e na francesa.

A autora, pós-doutoranda na Universidade Federal do Rio de Janeiro, utiliza o cinema como dispositivo do discurso sobre os conflitos urbanos.  Na obra, ela propõe a realização de uma discussão sobre os dois países a partir de suas características semelhantes – mesmo que possuam diferenças entre si –, como o comportamento dos jovens em uma sociedade do espetáculo e do consumo.

Luiz Eduardo Soares, antropólogo, cientista político e escritor, conta porque a obra de Giovana é vital: “(…) ela ensina, instrui, sistematiza, analisa processos sociais complexos, comparando-os no tempo e no espaço, entre Brasil e França. E recorre à análise de filmes para fazê-lo, com o auxílio de poetas, filósofos e cientistas sociais”. Para Luiz, a obra fascina o leitor.

Usando uma vasta gama de informações, teorias e a filmografia, Rio de Janeiro e Paris: a juventude apache do cinema na periferia possui uma linguagem acadêmica que elucida diversas questões acerca da urbe no mundo contemporâneo. Trata das dificuldades de equacioná-la diante das crescentes diferenças econômicas, sociais e culturais dentro dela mesma com o avançar do tempo.

O lançamento do livro será hoje (27), às 18h, na Livraria Autografia. Além disso, a autora também lançará, dia 08/06, às 20h, no Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC), CIC, em Florianópolis, seu filme “branCURA”, que trata sobre a violência de gênero. Com roteiro escrito por Giovana, o curta foi vencedor do Prêmio Catarinense de Cinema na edição 2012/2013.

Conheça os blogs parceiros da Autografia

Parcerias são imprescindíveis para o sucesso de um trabalho: a reunião de pessoas por um mesmo objetivo facilita o alcance das metas com êxito. Na Autografia, queremos tornar real o sonho de quem quer finalmente publicar seu livro e divulgá-lo. Mas, para isso, contamos com a ajuda dos blogs parceiros, que recebem os exemplares em suas casas e resenham, tornando a obra do autor mais visível. Que tal conhecer um pouco mais sobre alguns deles?

O blog “Fórmula do Amor, criado em 2012 pela Sofia Trindade para expressar seus sentimentos, tem quase 1000 curtidas. A blogueira conta um pouco sobre como se sentiu com a parceira entre All JerseySport o blog e a nossa editora: “É muito gratificante, pois assim consigo perceber que meu trabalho está sendo reconhecido. Recomendo a Autografia, não só pelos livros, mas também pela bela relação entre blogueiro e editora”.

O “La Oliphant da Débora, de 24 anos, começou como um passatempo, e conta com quatro colaboradores e 4000 curtidas. O La Oliphant traz sempre um conteúdo diferente para os leitores e também tem um canal no Youtube. Débora fala um pouco sobre o seu livro preferido da editora: “Eu gostei muito do trabalho “Habeas Corpus”, da Eliane de Lacerda. Acho muito legal vocês darem esse espaço para os autores nacionais”.

O “Tô Pensando em Ler, da Alê Tapias, já tem quase cinco anos e mais de 11000 seguidores. A Alê criou o blog para conversar sobre livros com quem divide a mesma paixão que ela pela literatura e está muito feliz com a parceria: “O trabalho de vocês é incrível. Já indiquei os livros para vários leitores. As capas são lindas, os livros que li são ótimos”, conta ela.

O blog “Brainstorm, do Leonardo, fala de filmes, séries, curiosidades, dicas e mundo pop, mas o foco, é claro, são os livros. O Leo conta que ficou muito surpreso com a parceria: “Eu me senti extremamente feliz Detroit Lions jerseys sale quando eu recebi o e-mail anunciando que fui um dos selecionados. Saí gritando e pulando pela casa, pois eu não estava esperando que fosse um dos escolhidos”. 

A Mari, do “Maravilhosas Descobertas, criou o blog em 2012 para conversar sobre livros. Ela considera a parceria útil e o trabalho proveitoso, e conta sobre a felicidade de ser parceira da Autografia: “A editora tem uma diversidade de gênero que se encaixa em todos os blogs. Como temos uma equipe, assim que fechamos parceria dei a noticia às meninas e todas gritamos muito!”.

O Mon Petit Poison, da Andréia, tem mais de 3000 curtidas e existe há seis anos. Com a parceria, ela espera conhecer novos autores e histórias, e divulgar aos leitores do blog algumas novidades. Andréia compartilhou que é bem eclética e gostou do catálogo da editora: “Vocês tem vários estilos e gêneros, acredito que abrangem um público bem diversificado”.

A Carolina, criadora do blog Delírios Literários da Snow, adora falar sobre livros e é apaixonada pela Autografia. Ela conta que está cheia de expectativas com a parceria www.alljerseysports.com e muito animada: “Já ouvi comentários positivos sobre vocês, sem contar que fui recebida de braços abertos, o que me deixou ainda mais feliz”.

O Up We Go, da Daniella Santos, existe desde 2014 para a blogueira expressar sua opinião sobre diversos assuntos, inclusive livros. Ela é muito fã do mundo do entretenimento e tem o sonho de ser escritora: “Eu estou bem ansiosa para ler coisas novas de autores novos, eu também desejo ser uma no futuro! Existem muitas pessoas com grandes ideias só esperando uma Turkey football shirts oportunidade para lançar os seus livros. A proposta da editora é genial”, conta Daniella.

A Pérola Pires, do “Chá com Livros, criou o blog como um hobby Liverpool football shirts e o site tem mais de 4000 curtidas. Para ela, a parceria será proveitosa, produtiva e divertida. Ela já leu o livro “72 Horas de Tensão”, de Beatriz Andrade, produzido pela nossa editora, e adorou: “Gostei de toda a produção, que teve cuidado e capricho”, conta ela.

Além dos blogs acima, também contamos com outros parceiros recentes, como o Macchiato, Me Livrando, Blog da Fê, De Bem Com a Leitura, Mix Literário, Coleções Literárias , Incrível Mundo de Ju , Queridinhos da Estante , Starbooks , Claquete Literária , Bela Psicose, The Best Words BR, Andreia Marques, Contra Capa, Dear Maidy, Papel Papel, Like Paradise e Doces Letras. Para acessar todos os blogs citados, é só clicar em cima do nome. E você, o que está esperando para curtir e seguir esses blogs super legais?

Se você quer ser parceiro da Editora Autografia, envie um email com os links das suas redes sociais para [email protected]. Vem trabalhar com a gente! 

Livro sobre a primeira discoteca do Brasil ganha crítica no jornal O Globo

No último domingo (24), o jornal O Globo publicou uma crítica sobre o livro A primeira e única New York City: a discoteca que iniciou a era disco no Brasil, de Mario Abbade e Celso Rodrigues Ferreira Junior. Na publicação, Silvio Essinger sintetiza a história da casa noturna e traz entrevistas exclusivas com Mario Abbade, autor do livro, e Carlos Wattimo, dono da New York City Discotheque.

Leia a matéria na íntegra em: http://goo.gl/qzCPFN

A primeira e única New York City: a discoteca que iniciou a era disco no Brasil nasceu para fazer jus ao protagonismo da New York City Discotheque, primeira discoteca brasileira e que tem sido esquecida da história da noite carioca. Além de ter trazido os ritmos nova iorquinos para o Rio de Janeiro, a casa, inaugurada no dia 21 de maio de 1976 na Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema, foi também responsável pela democratização da noite no Brasil.

Se antes da New York City Discotheque frequentar casas noturnas não era uma diversão para qualquer bolso e pessoa – visto que só entravam no ambiente indivíduos com quais os seguranças simpatizavam – a discoteca permitiu que qualquer um com um ingresso conseguisse dançar das 21h às 6h. Por esse motivo, a casa servia como ponto de encontro entre pessoas anônimas e figuras como Erasmo Carlos, Christiane Torloni e a cantora Maysa.

Se quiser saber mais sobre a discoteca que mudou a vida noturna no Brasil, o livro de Mario Abbade e Celso Rodrigues Ferreira Junior estará a venda nas melhores livrarias do país e no site da Editora Autografia em breve.

O lançamento da obra acontece no dia 16 de maio em uma noite de autógrafos na Livraria da Travessa de Ipanema, não perca!

Jovem publica diário que relata sua experiência no ‘segundo armário’ ao descobrir ser soropositivo

Escrito sob o pseudônimo Gabriel Abreu, a versão impressa de “O Segundo armário: diário de um jovem soropositivo”, de Salvador Correa, foi baseada no ebook homônimo lançado em 2014 e que hoje está entre os 10 primeiros em download na categoria LGBT de ebooks gratuitos na Amazon do Brasil. A edição da Editora Autografia, no entanto, conta com novos textos, ainda mantendo aqueles retirados do seu blog exatamente como foram escritos.

Nessa autobiografia, Salvador mostra seus medos e preocupações ao descobrir que é portador de HIV e como aprendeu a lidar com isso em uma coletânea de textos escritos para seu “diário virtual”, que iniciou em 2011. Começou o blog por necessidade de desabafar e organizar seus pensamentos, pois sentia que não poderia conversar sobre o assunto com as pessoas que mais amava. Salvador então diz ter se escondido em um “Segundo Armário” (considerando que o primeiro foi a homossexualidade), criando um nome fictício para que suas publicações permanecessem anônimas.

Quer conhecer o livro? Disponível para compra em: http://goo.gl/chxJCL

Depois de viver situações de discriminação por causa de seu diagnóstico, o autor percebeu que era preciso fazer alguma coisa para despertar no outro algum interesse e envolvimento pela causa. Com apoio e motivação que encontrou no e-mails que recebia de seus leitores, Salvador decidiu que era hora de publicar seus textos e mostrar para a sociedade a importância do combate ao estigma e discriminação no que se refere ao HIV.

Se antes se escondia dentro de seu segundo armário e escrevia textos carregados de tristeza e melancolia, hoje Salvador lida melhor com a situação e vive abertamente com seu diagnóstico. Esse amadurecimento é perceptível em sua obra, que ao final traz textos mais alegres e com um resgate de seus projetos de vida. “A forma como hoje eu lido com o HIV e a transformação dessa experiência em militância certamente resultam, em partes, desse processo [de amadurecimento]”, conta o autor.

O lançamento de “O segundo armário: diário de um jovem soropositivo” acontece nesta sexta-feira (15) às 20:30 no Instituto Kreatori (Rua Alice, 209 – Laranjeiras, Rio de Janeiro). Não perca!