207112-estender-500-palavras-generos-literarios-saiba-como-diferencialos

Gêneros literários: saiba como diferenciá-los

Gêneros literários podem ser definidos como uma categorização dos diversos tipos textuais que são escritos e publicados. Essa forma de organização iniciou-se na Grécia Antiga, sobretudo pela obra de Aristóteles, que separou e definiu os gêneros épico, lírico e dramático, no livro Arte Poética.

Para cada texto, há uma forma, que está diretamente ligada ao conteúdo que será expresso. Poesia, teatro, romances e contos se caracterizam por terem tipos específicos de escrita, que veiculam ideias, sentimentos e sensações.

Escrever um texto literário exigirá que você decida em qual gênero se encaixa seu material. Assim, seu enquadramento nos gêneros épico, lírico ou dramático dependerá do modo como ele será estruturado. Pensando nisso, que tal acompanhar as diferenças entre eles e escolher a melhor forma para o seu texto? Continue a leitura!

Construindo uma narrativa: o gênero épico

Na Antiguidade Grega, era chamado por “épikos” e relatava feitos heroicos, lendários e mitológicos, com muita pompa. Hoje também é conhecido como gênero narrativo e, nele, como o próprio nome diz, narra-se uma sucessão de eventos (reais ou fictícios) ao longo de determinado tempo. Isso pode ser feito com maior ou menor intensidade, extensão e profundidade. Em todas, há a presença de um narrador.

Para que a narrativa seja construída, é necessária a presença de alguns elementos essenciais: as personagens (principais e secundárias), o tipo de relação que vão manter ou estabelecer, os locais (ou local) e o tempo (cronológico ou psicológico) em que vão se passar os acontecimentos e, por fim, como será a história, ou seja, o enredo.

No início, o gênero épico consistia em um longo poema em que se narravam os eventos da vida de uma personagem, como pode se observar no livro Odisseia, de Homero. Com o tempo, o gênero assumiu a forma que habitualmente conhecemos como romance e conto, sendo o primeiro mais longo, e o segundo com extensão bem menor.

Veja, a seguir, mais características desses subgêneros.

Épico

O épico, diferentemente do que era na sua origem grega, corresponde hoje a uma narrativa mais objetiva, sem interferência do narrador, sobre um povo e seus feitos heroicos.

Fábula

Um clássico da literatura, a fábula narra brevemente uma história cujos personagens são animais. É marcada pela presença de uma moral, um ensinamento educativo que pode ou não estar explícito no fim da fábula. Esopo, escritor da Grécia Antiga, é o maior representante desse gênero.

Epopeia

É uma poesia narrativa que, assim como a poesia épica, conta os atos heroicos de um povo, como fez Luís de Camões no clássico Os Lusíadas.

Novela

A novela trabalha, normalmente, uma série de enredos interligados. Caracteriza-se, ainda, pelo seu tamanho: mais breve que o romance e mais extensa que o conto. É o gênero que deu origem à radionovela e à telenovela.

Conto

Muitos escritores brasileiros se aventuram nesse tipo de narrativa — curta, com poucos personagens, espaço e tempo reduzidos e apenas um conflito central a ser desenvolvido durante o enredo. Exemplos clássicos são: Machado de Assis, Fernando Sabino e Murilo Rubião.

Crônica

Aproxima-se do texto jornalístico — aliás, esse é seu primeiro meio de circulação — por seu caráter crítico e abordagem relacionada a temas cotidianos. Luis Fernando Verissimo é um dos maiores representantes do gênero no país.

Ensaio

De caráter mais didático, o ensaio visa expor ideias, críticas e reflexões em uma breve narrativa.

Romance

Personagens fictícias, mais aprofundadas, enredo extenso e complexo, tempo e espaço bem definidos são marcas do romance. Ele se divide, ainda, em vários subgêneros temáticos: romance romântico, ficção científica, policial etc.

As emoções e a percepção do mundo: o gênero lírico

Esse gênero tem na poesia e no soneto suas formas mais consagradas. Nele, predominam a expressão e a manifestação das emoções e dos sentimentos do eu lírico, ou seja, o texto caracteriza-se pela subjetividade e é marcado pelas impressões e percepções que o eu lírico tem acerca do mundo.

Sua origem remonta à Grécia antiga, e a palavra “lírico” se referia ao instrumento musical utilizado pelos gregos na composição dos cantos. Com o passar do tempo, houve o abandono da composição musical e o texto incorporou os elementos de musicalidade; por isso é que se observam rimas, aliterações e assonâncias, conferindo sonoridade ao texto.

Geralmente escritos em versos, podem ser encontrados nas seguintes formas: elegia, ode, hino, sátira, idílio, écloga e epitalâmio. Veja algumas delas:

Elegia

Sua característica marcante é o tom de tristeza e melancolia.

Ode

Ao contrário da elegia, a ode é festiva: um poema feito em tom caloroso, com objetivo de exaltar alguém, algum lugar ou objeto.

Écloga

Poema pastoril, que, normalmente, apresenta diálogos.

Soneto

O mais conhecido dos poemas, é composto por 4 estrofes (dois quartetos e dois tercetos) em versos decassílabos ou alexandrinos. Entre os brasileiros, Vinicius de Moraes é um dos grandes escritores de sonetos.

Representação em cena: o gênero dramático

Esse gênero é constituído pelos textos que se destinam à encenação teatral. Portanto, ele se constrói a partir das falas das personagens, além de conter as indicações de como uma peça será organizada e quais serão os elementos cênicos presentes.

Não é necessária a presença de um narrador. A ação dramática, a voz, os gestos e as mímicas estarão indicadas no texto, para que os atores saibam a forma correta de transmiti-los. Podem ser representadas por comédia, tragédia e drama.

Alguns exemplos do gênero dramático são:

Auto

Gil Vicente, escritor português medieval, foi um mestre dos autos: textos teatrais que usavam linguagem simples. Normalmente, os personagens representavam virtudes e pecados e tinham, claramente, intenção moralizadora.

Comédia

Em sua gênese, na Grécia, a comédia possibilitava tratar de temas mais prosaicos de forma satírica, visando proporcionar humor à plateia. Hoje em dia, está presente em filmes, séries e no teatro, mantendo-se a marca registrada de fazer rir.

Tragédia

Seu objetivo é promover sentimentos de terror e piedade. Como o próprio nome indica, representa eventos trágicos.

Tragicomédia

Assim como o nome indica, a tragicomédia pretende unir a tragédia e a comédia, a seriedade e o riso.

Farsa

Esse subgênero é aquele produzido com objetivo de criticar a sociedade por meio de caricaturas.

Entender a diferença entre os gêneros literários pode ajudar muito no processo de elaboração de um texto. Um escritor precisa não só conhecer, mas se aventurar em diferentes gêneros para, ao final, escolher aquele que melhor representa suas ideias, construindo seu próprio estilo. Quer começar a escrever ou está pensando em publicar um livro? Mãos à obra e bom trabalho!

Gostou de conhecer mais os gêneros literários? Então, que tal compartilhar este post em suas redes sociais?

2
Mockup-Horizontal (42)
Mockup Horizontal (51)
Postagens relacionadas
4-dicas-de-redacao-para-escrever-um-livro.jpeg
4 dicas de redação para escrever um livro
60438-5-formas-de-despertar-ideias-para-escrever-um-livro
5 formas de despertar ideias para escrever um livro
x_dicas_de_aplicativos_incriveis_para_escritores.jpg.jpeg
5 dicas de aplicativos incríveis para escritores
o-que-e-book-trailer-e-como-utilizalo-na-divulgacao-de-livros.jpeg
O que é book trailer e como utilizá-lo na divulgação de livros?
Como escrever bons diálogos veja 4 dicas
Como escrever bons diálogos: veja 4 dicas